08/02/2008

Bem-Vindos a Realidade! (Só para os bons)

Image Hosted by ImageShack.us

Descreverei a saga do homem comum, nao rico, nao cafa, nao marginal e similares, no ensino superior. A saga começa no colegial quando geralmente as famílias de classe média, para cima, matriculam seus filhos em Anglos, Objetivos, Poliedros da vida. São escolas que prometem uma pedagogia moderna, criando um clima "cool" de aprendizagem. Ledo engano, são verdadeiros campos de concentração para o homem comum. As mulheres, alunas deste tipo de escola, sao vadias patricinhas que têm como único objetivo conquistar os professores descolados como meio de provar que já são maduras, afinal estão com caras mais velhos. Os professores, em geral, dividem-se em 2 frentes: esquerdistas que deturpam e professores descolados, moderninhos. São cheiradores de pó e passam a vara nas alunas, humilham o aluno (homem comum) à base de uma clima "cool". Os demais homens diferenciados geralmente sao playboys e cafas, que praticam agressoes psicológicas em cima do homem comum. Mesmo num ambiente hostil, o homem comum se vê obrigado a estudar como um zumbi para passar no vestibular. Aqui surge outro problema, ele está com hormônios a flor da pele, nao consegue se concentrar, é desprezado pelas colegas de classe e tb por mulheres mais velhas, haja vista que sao novos. Precisam comer, portanto, putas. Estudam como zumbis mas descobrem que nao sabem o que querem. Recorrem às psicólogas destas escolas, as mesmas que passaram a faculdade de psicologia toda fumando maconha e quebrando tudo em festas, sendo contratadas pelo dono da escola pq sao, sobretudo, bonitas. Elas aplicam um monte de teste impessoal, padronizado, fingindo que se importam, mas tb acham o homem comum um verme. Ao final dos 3 anos há uma espécie de prêmio: porto seguro, local em que o nível da vadiagem é tao alto que até mesmo um homem comum tem chance de pegar alguma sobra. Se ele nao for para o limbo, curisinho, finalmente irá para a universidade, algo que seus professores descolados vendem como a salvação, a grande mudança de vida.
O homem comum, portanto, vai cheio de expectativa, acha que finalmente será respeitado como homem. Ledo engano. Logo de cara já é recebido com o tal trote. O trote é vendido como meio de interação, o que é uma piada. No trote o homem comum é humilhado física e psicologicamente pelos cafas e marginais, mesmo outros homens comuns, que são veterenos, tb o humilham, haja vista que querem demonstrar força para as vadias da universidade. As vadias da universidade, como de praxe, tratam-no como verme, algumas até ensaiam aproximação durante o trote só para ter o prazer de desprezá-lo . O homem comum é mal visto até mesmo pelos funcionários da Universidade. No ensino superior cobra-se muito a proatividade, palavra moderninha usada por psicólogas maconheiras e psicólogos viados. Na verdade, o aluno passa a vida toda recebendo informação, passivo, sem proatividade, daí, do nada, resolvem cobrar isso, é como jogar uma pessoa na água, uma pessoa que nunca nadou, exigindo que ela vença uma competição. A dinâmica pessoal no ensino superior é a de sempre: suas colegas de sala o desprezam pq elas querem homens mais velhos, veteranos. Os prof o ignoram pq têm casamentos fracassados e ficam loucos para passar a vara nas alunas. Aqui, pelo menos, o homem comum pode pegar uma coroona ou então alguma mãe solteira (comida por cafa e jogada no lixo). Ele tb é deixado de lado nas inúmeras festas à base de orgia que rolam, sequer é convidado. Nas universidades há os tais DAs, antro de maconheiros, vadias e uma minoria esquerdista. . Lá se discute, sobretudo, onde será a próxima orgiástica. Na universidade se o homem comum se o homem comum mandar uma real ele será rotulado como machista escroto, porco insensível. Continua estudando como zumbi. Ao final do curso vem uma espécie de prêmio: as mulheres de sua sala, que passaram anos sem saber seu nome, dão-lhe um abraço e choram de emoção, dizem que vão sentir saudade, como se fossem amigos há tempos.
O grande final: formado, julgando-se preparado, o homem comum descobre que não esta apto para o mercado de trabalho, afinal ele não cumpre as exigências absurdas, como ter dado umas cambalhotas no vácuo do universo. No desespero, manda currículo para tudo qto é lugar, aceitando qualquer emprego merda só para poder começar, mas não acaba aqui. Para ser contratado ele precisa ser entrevistado, passar por dinâmicas. Estas dinâmicas foram desenvolvidas por psicólogos afeminados que visam destruir qualquer ato viril, identificam os mais submissos, são conduzidas por psicólogcas. Sim amigos; as mesmas que passaram a faculdade fumando maconha e sofrendo dupla penetração nas festas orgiásticas...

Bem-vindos à realidade.

by Rafael

8 comentários:

Alex disse...

Otimo hero hua, retrata bem um pouco do que passei e do que irei pasar mas serei orte, determinado e impedirei os maconheiros, vadias eos afeminados de tirar proveito e de me humilhar

Otimo texto realmente

Anônimo disse...

Kra, tu é foda!
Adquiri este tipo de conhecimento levando patadas, queria ter tido a oportunidade de ver um blog assim antes. Esse é um verdadeiro manual da porra da realidade. Ainda tô na porra da Universidade estudando pra caralho e de uns anos pra cá, tenho botado pra foder com patricinha filha da puta e boyzinho vagabundo. Dou muita força pros colegas q sofrem por ser corretos e vou indicar teu blog.

Anônimo disse...

caralho que fodastico esse texto, muito foda, caralho porra

Anônimo disse...

Cara, este post conta praticamente minha vida colegial e universitária. Foi desta mesma forma que ocorreu. Humilhação no colégio, na faculdade abraços falsos no último dia e depois na hora de conseguir emprego, virei espalhador de currículos e hj estou c/ um emprego de merda.
Aí continuou também após a faculdade c/ as mininas vadias rejeitando os trabalhadores, inteligentes e só ficando com marginais.
Este blog abriu muito minha mente.

OsAmA disse...

eita porra, vc eh foda mermo hein,
vc narro a minha historia ate aqui
sempre fui o excluido

excluido por um bando fe filhoda puta.



vc eh fofa mermao

Patrick disse...

Tá tudo certo, e agora eu vou pra última etapa desse calvário de merda. Mas fazer o que, camarada? Vai se matar? Vai sair atirando em geral? O negócio é que mesmo um emprego merda vai dar dinheiro pra comer putas de boa qualidade sempre que dá vontade. Quer dizer, tomara.

Não tritures meus sonhos tão mesquinhos. Agora que a gente tá velho, cadê aquelas novinhas fogosas do coleginho? Elas não gostavam de caras mais velhos?

Paulo disse...

Adorei o seu blog! Abraços de Portugal

Willian Guimarães disse...

Já fui muito certinho.No colégio,principalmente no intervalo,enquanto os outros namoravam,e tinham vários amigos eu ficava quietinho no meu canto.

Era visto como "tímido" por várias pessoas,e como consequência disso fui muito zuado.

Até o modo de me vestir ao ir ao colégio era meio "certinho", meio "nerd",usava uniforme,e além disso óculos!

Eu me sentia um pouco excluído da minha turma.Até minhas concepções eram diferentes das deles.Enquanto me definia como sendo de "direita" a maioria era tudo esquerdista.Odiava uma feminista idiota cheia de piercings!

Em 2009 terminou a minha fase do colegial, e em 2010 fui para a faculdade de direito.

No início ainda usava óculos e cabelo certinho,parecia um nerd,fiquei com medo entrar naquela sala cheio de pessoas estranhas.

Com tempo fui me soltando, havia conhecido várias pessoas,e uma garota começou a se aproximar de mim.O boboca aqui até achou que ela estava a fim de mim !

Foi então que mudei o meu visual,deixei de usar óculos, e passei a usar cabelo bagunçado, e utilizar correntinha no pescoço.

Tinha mudado por fora, mas por dentro era o mesmo babaca certinho de sempre !

Passei a ter fama de inteligente devido a desenvoltura com que apresentava os meus trabalhos, mas no fundo mesmo eu não passava de um certinho babaca matrixiano que nunca pegou uma mulher!

Para agravar a situação virei miguxinho dessa garota que já tinha namorado.

O boboca aqui ficava todo felizinho quando ela o convidava para ir tomar um lanche!

O mais triste foi quando ela se tornou amiga de um outro rapaz da minha sala, e passou a andar com ele,conversar com ele,praticamente me descartando.

Mas ficava contentinho ao saber que ela ia embora comigo pelo menos até o seu ônibus.E acredite: só pelo fato de ela ir embora comigo,mesmo que não ocorresse nada entre nós!

Hoje estou de férias da faculdade, precisou passar dois meses para que eu caisse na real.

Atualmente enxergo a realidade sobre outro aspecto,já não sou muito certinho, e posso dizer que incorporei muitas atitudes desses cafas.

Depois que abandonei a "matrix" posso dizer que estou chamando a atenção das garotas.

Chega de ser certinho ! Ser muito certinho é ser humilhado,explorado,é ser rejeitado pelas mulheres!

Durante a minha vida escolar fui muito certinho, nunca encabulei uma aula,sempre respeitei as regras.E o que ganhei? Nenhuma garota parecia sentir atração por mim!

E era zuado quase todo dia.

Posso dizer que hoje sou um cafa, e muito safado por sinal.Mas ser safado não consiste em abandonar os princípios em que sempre acreditei.Continuo sendo um conservador/direitista como antes,e até muito mais conservador do que antes, só que muito cafa e safado com as mulheres.